Depoimento

Anúncios

Globo, SBT e Figueiredo

 

Um fato interessante sobre a história do Brasil e a criação do SBT: o presidente João Figueiredo (meu avô) tinha uma relação de amizade com o Roberto Marinho, principalmente centrada no amor que ambos tinham por cavalos.

Quando foi eleito (sim, eleito), avisou de antemão ao amigo que não daria nenhuma nova concessão à Globo, por ela já concentrar demais das comunicações do país. E assim fez. Todo mundo ganhou concessão: Bloch, Saad, Silvio Santos…e nadinha para a Globo.

Aliás, foi a concessão ao Silvio Santos o motivo do rompimento definitivo de qualquer relação. Logo ao saber do fato, Marinho ligou desaforado e soltando os cachorros para o presidente, que não aturou e mandou o dono da Rede Globo “tomar no centro do cu”, nestes termos, com todas as letras.

Coincidência ou não, façam vocês mesmos uma pesquisa nos jornais da época e verão a mudança drástica de postura no noticiário global, logo depois da concessão do SBT. O massacre da Globo ao meu avô faz com que hoje pareçam até compadres do presidente Michel Temer. Ah, e ao contrário do que o seu professor de história possa ter te ensinado, não havia censura.

Não posso deixar de pensar algumas coisas:

1. Em tempos onde descobrimos amizades como as de Lula e Leo Pinheiro, como deveria ser bom viver em um país onde o presidente pensava apenas na nação e não nas suas amizades pessoais! Ainda que isso significasse a ira do vingativo dono da empresa que comandava 90% das comunicações do país.

2. De lá para cá a Rede Globo deixou de ser só uma empresa de comunicação que usava seu poder para defender o interesse dos seus donos, sem escrúpulos, para ser uma empresa que, além de defender o interesse de seus donos, gosta de brincar de ser agente de engenharia social, com ainda menos escrúpulos.

3. Mesmo depois de tanta pancada da Rede Globo e de três décadas de adestramento socialista nas escolas e universidades, não tenho dúvidas de que, caso se candidatasse em 2018, meu avô seria eleito presidente no primeiro turno.

RESUMO DO RESUMO

Período Militar 1964 a 1985

– 13 Milhões de empregos
– Petrobrás 75 mil para 750 mil barris diários
– Criação Eletrobrás
– Implantação Programa Nuclear
– Criação Nuclebrás
– Criação da Embraer
– Criação da Telebrás
– Criação Usina Angra 1
– Criação Usina Angra 2
– Criação Implantação Pró – Álcool
– Criação construção grande Usina Tucuruí
– Criação construção Usina Ilha Solteira
– Criação construção Usina Jupiá
– Criação construção Usina Itaipú
-Criação construção Usina Hidroelétrica de Boa Esperança , Rio Parnaíba
– Incremento na exportação de 1,5 bilhões para 37 bilhões
– Rodovias asfaltada de 3 mil km para 45 mil km
– Criação Funrural – aposentadoria e assistência médica p/ trabalho rural
– Criação FGTS – Pis – Pasep
– Criação do Embrapa
– Duplicação rodovia Rio Juiz de Fora
– Implantação do metro São Paulo
– Implantação do metro Rio de Janeiro
– Implantação do metro Belo Horizonte
– Implantação do metro Recife
– Criação Aeroporto Guarulhos – SP
– Criação Aeroporto Galeão – SP
– Criação Aeroporto Brasília
– Criação Aeroporto Campinas
– Criação Aeroporto Salvador
– Criação Aeroporto Manaus
– Criação porto de Itaqui e Terminal de Minério em Maranhão
– Criação BNH – banco Nacional da Habitação
– Criação SFH – Sistema Financeiro de Habitação
– 4 milhões de moradias construídas
– Regulamentação 13º salário
– Redes Ferroviárias de 3 mil para 11 mil km
– Banco da Amazônia – Sudam
– Frota mercante de 1 para 4 milhões TDW
– Corredor de exportações de Vitória Santos, Paranaguá e Rio Grande do Sul
– Matrícula de ensino superior de 100 mil em 1964 para 1,3 milhões em 1981
– Mais de 10 milhões de estudantes nas escolas (que eram realmente escolas)
– Projeto Rondon
– Mobral – Alfabetização de adulto
– Abertura da Transamazônica
– Asfaltamento da rodovia Belém Brasília
– Criação construção ferrovia do Aço Belo Horizonte a Volta Redonda
– Construção Ponte Rio Niterói
– Construção Rodovia Rio Santos BR 101

O brasil passou da 46º economia do mundo para 8º.